Por volta dos dois anos ou um pouco menos, algumas crianças manifestam o hábito de morder, o que diminui em torno dos três anos. Nessa fase, a criança está aprendendo a se expressar e a se relacionar com o mundo.

Muitas vezes, por não entender o que está sentindo, a criança usa a mordida como forma de demonstrar sua insatisfação com algo e até para demonstrar que está feliz.

Pais e educadores precisam estar atentos e procurar mapear fatos que costumam desencadear o processo. Aos poucos, devem mostrar à criança formas de linguagem que ela pode usar para expressar aquilo que quer e/ou sente. É interessante, ainda, instigá-la a dar nome àquilo que está sentindo ou querendo, pois ela ainda não sabe nomear com clareza seus sentimentos e desejos.

Algumas dicas para pais de crianças que têm o hábito de morder:

· Quando presenciar a criança mordendo, chamar-lhe a atenção, demonstrando que tal comportamento não é aceitável. Embora pequena, ela entenderá que sua atitude não agradou e não foi correta;

· Nunca rir ou demonstrar que achou graça na ação e tão pouco usar frases como “Você é tão fofinho! Vou morder sua bochecha!”;

· Conversar e explicar os motivos pelos quais não se deve morder: machuca, dói, o amigo chora, fica triste etc;

Para os pais cujos filhos são mordidos, é importante compreenderem que, embora chateados, às vezes, por tal situação, essa é uma fase do desenvolvimento da criança e a maioria delas, em algum momento, passará por isso.

Para uma convivência saudável entre as crianças, é fundamental os pais entenderem essa fase de forma tranquila.